Recifes de coral

É o ambiente que apresenta a maior diversidade biológica entre os ecossistemas marinhos. É também um dos ambientes marinhos mais estáveis.

Originam-se nas águas claras e quentes dos Trópicos, a partir de formações calcárias formadas por  inúmeros pólipos que após a sua morte ficam amontoados e se calcificam.

Os corais promovem uma associação muito produtiva com algumas algas unicelulares chamadas zooxantelas. Elas vivem no interior dos tecidos vivos dos corais, dos pólipos e atuam como vegetais, que realizam a fotossíntese e produzem a matéria orgânica, que é absorvida pelos tecidos do coral – por isso, embora não sejam vehetais, os corais precisam de luz para crescer.

A estrutura dos recifes é formada de carbonato de cálcio produzido pela colônia dos animais e pelo acúmulo dos esqueletos dos animais mortos. Corais vivos existem somente na superfície e, dependendo da espécie, apresentam velocidades diferentes de crescimento.

Chapeirôes são recifes em forma de cogumelo, com cerca de 30 metros de altura e cujos topos podem ultrapassar 50 metros de diâmetro. No Arquipélago de Abrolhos, no sul da Bahia, os chapeirões próximos à costa se fundiram, formando bancos ou platafromas de recifes com até 20 quilômetros de extensão como no caso do Parcel de Paredes.

Abrolhos, é uma formação bem mais rasa que Noronha. A plataforma continental sobre a qual as ilhas estão localizadas tem profundidades que variam entre 8 e 30 metros no máximo. Os corais chegam a aflorar na superfícies durante a maré baixa. As águas do Arquipélago são extremamente transparentes. Aqui, a taxa média de crescimento é de 7 cm por ano, dependendo da espécie.

Um recife pode abrigar até 2.000 espécies de peixes, 500 espécies de moluscos, inúmeras de caranguejos, ouriços, estrelas-do-mar e poliquetas. O ambiente torna-se ideal para muitas espécies de peixes, também ricamente coloridas, senda a maioria territorialista, são os chamados peixes recifais, entre eles encontramos:

  • Peixe – cirurgião
  • Peixe – papagaio – Scarus coeruleus entre outras
  • Peixe – borboleta – Chaetodon striatus
  • Peixe – donzela –
  • Moréias
  • Garoupas
  • Peixe-escorpião
  • Barracudas
  • Tubarões

Fontes: Revista Alô Escola, 2004 e Storer, 1995

Anúncios

4 respostas para Recifes de coral

  1. angela disse:

    nao entedi nada

  2. Ana de Araújo Lima disse:

    Sou professora é amo a vida no como num todo, penso enquanto mediadora da aprendizagem, vejo a educação como sendo global, tudo é multidisciplinar, então, procuro visualizar sempre desenhos precisos, que irão valorizar as minhas aulas. Isso gera nas crianças o gosto científico. Amo trabalhar com o concreto. Abraços!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s